A MANEIRA DE DEUS X A MANEIRA DO CRISTIANISMO DEGRADADO

A MANEIRA DE DEUS X A MANEIRA DO CRISTIANISMO DEGRADADO

Como ramos de Cristo, a videira universal na economia de Deus (Jo 15:1), cada crente tem a responsabilidade de produzir fruto (Jo 15:16, 4-6). Além disso, é a natureza da vida divina dentro de nós que busca o aumento para a glorificação do Pai (Jo 15:8). Na restauração do Senhor há muito reconhecemos que o campo mais frutífero são os jovens, incluindo alunos de faculdade e nossos próprios filhos.

Jo 15:1 – Eu sou a videira verdadeira, e Meu Pai é o agricultor.

Jo 15:16 – Não fostes vós que Me escolhestes a Mim; pelo contrário, Eu vos escolhi a vós, e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que o que pedirdes ao Pai em Meu nome, Ele vo-lo conceda.

Jo 15:4-6 – [4] Permanecei em Mim, e Eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em Mim. [5] Eu sou a videira, vós os ramos. Quem permanece em Mim, e Eu nele, esse dá muito fruto; porque sem Mim nada podeis fazer. [6] Se alguém não permanece em Mim, é lançado fora, como o ramo, e seca; e os apanham e lançam no fogo, e são queimados.

Jo 15:8 – Nisto é glorificado Meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis Meus discípulos.

Por outro lado, também temos a responsabilidade diante do Senhor de sustentar Seu testemunho (At 1:8; 26:16; Ap 1:2, 9). Para isso, precisamos andar no caminho apertado da vida (Mt 7:14), para que o Senhor não desaprove nossas obras em Seu tribunal (Mt 7:21-23; 1Co 3:12-15). Isso significa que somos restringidos na maneira que empregamos para dar fruto. Não podemos usar maneiras mundanas. Em vez disso, somos restringidos à maneira ordenada por Deus revelada na Bíblia de dar fruto transbordando a vida divina por intermédio da oração, do Espírito e da Palavra (At 1:18; 4:31; 6:4; 8:4).

At 1:8 – Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.

At 26:16 – Mas levanta-te e firma-te sobre teus pés, porque por isto te apareci, para te constituir ministro e testemunha, tanto das coisas em que me viste como daquelas pelas quais te aparecerei ainda.

Ap 1:2 – O qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu.

Ap 1:9 – Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus.

Mt 7:14 – Porque estreita é a porta e apertado o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que a encontram.

Mt 7:21-23 – [21] Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos céus. [22] Muitos, naquele dia, Me dirão: Senhor, Senhor! Não foi em Teu nome que profetizamos, e em Teu nome expulsamos demônios, e em Teu nome fizemos muitos milagres? [23] Então lhes declararei: Nunca vos 1conheci. Apartai-vos de Mim, os que praticais a iniqüidade.

Nota de rodapé 7:231 – A palavra conhecer aqui quer dizer aprovar. A mesma palavra em Rm 7:15 é traduzida por reconhecer. O Senhor jamais aprovou os que profetizam, expulsam demônios e fazem muitos milagres em Seu nome (v. 22), mas não segundo a vontade do Pai celestial (v. 21). O Senhor não irá negar que eles fizeram essas coisas, mas irá considerá-las iniqüidade, pois não foram feitas segundo a vontade do Pai celestial, de conformidade com a vontade divina. Assim, os que fazem tais coisas, mesmo em nome do Senhor, não entrarão no reino dos céus, mas serão apartados do Senhor, ou seja, excluídos da manifestação do reino na era vindoura.

1Co 3:12-15 – [12] Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é 2ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, [13] manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo 2fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. [14] Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; [15] se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.

Nota de rodapé 3:122 – Ouro, prata e pedras preciosas simbolizam as diversas experiências de Cristo nas virtudes e nos atributos do Deus Triúno. É com esse material que os apóstolos e todos os crentes espirituais edificam a igreja sobre o único fundamento de Cristo. O ouro pode simbolizar a natureza divina do Pai com todos os seus atributos; a prata pode significar a redenção de Cristo com todas as virtudes e todos os atributos de Sua pessoa e obra; e as pedras preciosas podem simbolizar a obra transformadora do Espírito com todos os seus atributos. Todos esses materiais preciosos são os produtos de nossa participação em Cristo e de nosso desfrute Dele em nosso espírito pelo Espírito Santo. Somente esses materiais são bons para a edificação de Deus…

Nota de rodapé 3:132 – O fogo do julgamento do Senhor (Ml 3:2; 4:1; 2Ts 1:7b-8; Hb 6:8), o qual tornará manifesta a obra de cada crente, provando-a e testando-a. Toda obra de madeira, de feno e de palha será incapaz de suportar aquele teste e será queimada.

At 1:8 – Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.

At 4:31 – Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.

At 6:4 – E, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.

At 8:4 – Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra.

Tanto o irmão Nee como o irmão Lee tornaram isso muito claro:

A sabedoria do mundo declara que “o fim justifica os meios”, mas nunca é assim na esfera espiritual. Nosso fim deve ser espiritual, mas nossos meios também devem ser espirituais. A cruz não é um mero símbolo, é um fato e um princípio que deve governar toda a obra de Deus. (The Collected Works of Watchman Nee, vol. 30, pp. 156-157)

Qual é nosso encargo? Qual é nossa responsabilidade? Devemos não apenas pregar o evangelho. Devemos sustentar o testemunho de Jesus, como é mencionado em Apocalipse (1:2, 9). Devemos ser Suas testemunhas, como nos é mencionado em Atos 1:8. Devemos produzir fruto permanecendo Nele, como os versículos 5 e 16 de João 15 nos dizem. Essa é a pregação do evangelho apropriada. Não há nenhuma necessidade de usar qualquer artifício. Devemos deixar de lado nossa astúcia, exatamente como Paulo determinou não usar de sublimidade de palavras. Nossa responsabilidade é viver Cristo, sustentar um vivo testemunho Seu em nossa vida diária, e nada saber a não ser Cristo, Aquele que é todo-inclusivo, conforme revelado no ministério de Paulo, que era um ministério de completar, e no ministério de João, que era de remendar. (The World Situation and God’s Move, p. 82)

Nosso ministério do evangelho é governado pelo modelo estabelecido no Novo Testamento, particularmente pelo apóstolo Paulo. Em 2 Coríntios 4, Paulo testificou que ele e seus cooperadores se conduziam de modo que o evangelho da glória de Cristo pudesse resplandecer por meio deles (2Co 4:6) pela manifestação da verdade (2Co 4:2), que é simplesmente o próprio Cristo como a incorporação do Deus Triúno que foi trabalhado neles. Ao fazer isso, eles viviam uma vida sob a terminação da cruz de Cristo para a manifestação da vida de ressurreição (2Co 4:10-12).

2Co 4:6 – Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, Ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para 4iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.

Nota de rodapé 4:64 – A iluminação aqui, que se refere ao resplandecer da luz de Deus sobre outros a partir daqueles cujos corações foram iluminados por Deus, corresponde à manifestação no v. 2 e é o mesmo resplandecer em Mt 5:16 e Fp 2:15. Deus resplandece em nossos corações para que resplandeçamos sobre outros, de modo que eles tenham o conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo, ou seja, o conhecimento de Cristo, Aquele que expressa e declara Deus (Jo 1:18).

2Co 4:2 – Pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da 2verdade.

Nota de rodapé 4:22 – A verdade é outra expressão usada para designar a palavra de Deus (Jo 17:17 e notas). Ela significa a realidade, denotando todas as coisas reais reveladas na palavra de Deus, as quais são principalmente Cristo como a realidade de todas as coisas de Deus. A manifestação da verdade refere-se aos apóstolos vivendo Cristo. Quando eles viviam Cristo, que é a verdade (Jo 14:6), eles manifestavam a verdade. À medida que Cristo era vivido por eles, a verdade era manifesta neles. Por isso, eles recomendavam a si mesmos à consciência de todo homem diante de Deus. Os apóstolos agiam não por meio da adulteração da palavra de Deus, mas na maneira da manifestação da verdade para o resplandecer do evangelho da glória de Cristo, pelo excelente poder do tesouro inestimável, o próprio Cristo que entrou neles e Se tornou o conteúdo deles (v. 7), por meio da iluminação do resplandecer de Deus (v. 6).

2Co 4:10-12 – [10] Levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a Sua vida se manifeste em nosso corpo. [11] Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de 1Jesus se manifeste em nossa carne mortal. [12] De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a 1vida.

Nota de rodapé 4:111 – O título Jesus nesses dois versículos indica que os apóstolos viviam uma vida como aquela que o Senhor Jesus viveu na terra. A vida do Senhor era uma vida sob o matar da cruz para a manifestação da vida de ressurreição, uma vida vivida de tal maneira que Sua pessoa era uma com Seu ministério e Sua vida era Seu ministério (Jo 6:14-15; 12:13, 19, 23-24).

Nota de rodapé 4:121 – Quando estamos sob o matar da morte do Senhor, Sua vida de ressurreição é transmitida por meio de nós a outros. A transmissão da vida a outros é sempre o resultado de sofrermos o matar da cruz.

Recentemente algumas igrejas têm promovido uma maneira muito diferente. Em vez de confiarem simples e puramente no Senhor, cooperando com Ele para serem constituídos com a Palavra de Deus e pela oração para serem preenchidas com o Espírito de maneira essencial e econômica, elas têm recorrido a artifícios mundanos para atrair os jovens; artifícios que incluem o uso de bandas de rock, dramas, oradores famosos e outras formas de entretenimento. Essa mistura é absolutamente contrária ao padrão de como os apóstolos laboravam para propagar o evangelho no Novo Testamento, e ao padrão apresentado a nós pelo ministério e obra dos irmãos Watchman Nee e Witness Lee. Assim, tal mistura é absolutamente estranha para a restauração do Senhor. Mais sério ainda, trazer o mundanismo para dentro da igreja ofende a natureza santa de nosso Pai (1Jo 2:15) e conduz os jovens para longe da natureza intrínseca da restauração do Senhor. Fazendo isso, ameaça mudar a natureza das igrejas que praticam tais coisas, para se tornarem simplesmente mais uma obra do cristianismo. Isso é também imensamente danoso aos santos jovens na restauração do Senhor, que estão sendo poluídos com essas coisas (ver também: “Um Apelo aos Jovens na Restauração do Senhor – Não Sejam Espoliados da Sua Herança!”.

1Jo 2:15 – Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.

Não há muita necessidade de escrevermos mais sobre esse assunto, visto que tanto a maneira bíblica ordenada por Deus para pregar o evangelho como o dano causado pelo uso de artifícios como rock e dramas para levar a cabo o serviço de evangelização da igreja, foram totalmente apresentados no falar do irmão Lee. Por essa razão, apresentamos as seguintes porções para sua consideração:

A ORAÇÃO, O ESPÍRITO E A PALAVRA SÃO A ÚNICA MANEIRA DE PREGAR O EVANGELHO

Em Atos, os três fatores principais para a expansão do evangelho com impacto foram oração, o Espírito e a Palavra. Segundo a Bíblia e a historia, esses três itens constituem a única maneira de o evangelho se tornar prevalecente (Treinamento de Presbíteros, Volume 7: A Unanimidade para o Mover do Senhor, p. 12)

O livro de Atos começa com a unanimidade e enfatiza a unanimidade. Entretanto, os primeiros discípulos não poderiam ter mantido ou preservado essa unanimidade, se tivessem tido divergências quanto a maneiras, meios, agentes ou ingredientes para levar a cabo o mover do Senhor na terra. Lendo o livro de Atos, vemos que a maneira que eles adotaram para levar a cabo o mover de Deus na terra, para cumprir Sua economia neotestamentária, foram três ingredientes principais: oração, o Espírito e a Palavra. Não só em Atos, mas também em todo o Novo Testamento, esses três itens foram usados para levar a cabo a economia divina. (…) Se tivermos diferentes maneiras de fazer as coisas, será difícil preservar a unanimidade. Para manter a unanimidade, todos temos de aprender a fazer a mesma coisa da mesma maneira. Os ingredientes que constituem a única maneira do mover do Senhor são a oração e o Espírito, que resultam na Palavra. (Treinamento de Presbíteros, Volume 7: A Unanimidade para o Mover do Senhor, pp. 25-26)

Não deveríamos confiar em outra coisa que não seja a oração, a Palavra e o Espírito. Talvez determinado mestre seja capaz de dar uma mensagem sobre Ciências, a fim de convencer os estudantes de Ciências a crer em Deus. Embora não haja nada de errado com esse procedimento, não devemos confiar nisso. Pelo contrário, confiar total e absolutamente na oração, na Palavra e na unção, que é o próprio Deus Triúno.

PAULO FALA A PALAVRA DE DEUS DIRETAMENTE

Vemos no livro de Atos que o apóstolo Paulo não usava artifícios para pregar o evangelho. Antes, ele “pregava, nas sinagogas, a Jesus, afirmando que este é o Filho de Deus” (9:20). Quando Saulo estava em Damasco, ele “mais se fortalecia e confundia os judeus que moravam em Damasco, demonstrando que Jesus é o Cristo” (9:22). Numa mensagem anterior, enfatizamos que em Tessalônica ele arrazoou com os que estavam na sinagoga a partir das Escrituras com respeito a Cristo: “E este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio” (17:2-3). Da mesma forma, vimos que em Corinto ele testificou solenemente aos judeus que Jesus é o Cristo (18:5). Assim, em vez de usar subterfúgios, ele sempre falou a palavra diretamente.

JOVENS SANTOS PREGANDO COM PODER

Talvez você diga: “Irmão Lee, você tem estado envolvido com a Palavra por mais de cinqüenta anos. Como podemos ser poderosos na pregação do evangelho, se ainda somos jovens no Senhor?” Quero testificar que, mesmo ainda jovem, meu falar era poderoso devido a estes três itens: a oração, a Palavra e o Espírito, que é a unção. Isso quer dizer que até mesmo os jovens podem pregar o evangelho com poder e impacto se confiarem nesses três itens. (Estudo-Vida de Atos, pp. 476-477)

… Ao buscar poder e impacto ao pregar o evangelho, não devemos seguir nenhuma maneira estranha nem esquisita. Tomemos o caminho da oração, da Palavra e do Espírito.

Cremos que hoje o Senhor é o Espírito processado que habita em nós e também sobre nós. Não importa O percebemos. Cremos que enquanto O servimos e falamos por Ele, em especial quando O declaramos, Ele está conosco. Temos a presença do Senhor em nós como unção. Por meio da oração, da Palavra e do Espírito podemos ter verdadeiro poder e impacto. (Estudo-Vida de Atos, p. 472)

Se a maneira bíblica de reunir e o ensinamento saudável da Bíblia têm sido negligenciados, o que resta? Apenas a pregação do evangelho. Todavia, muito da pregação do evangelho de hoje é do mais baixo padrão. Sem dúvida, muitos de vocês leram as biografias dos grandes evangelistas do passado. Havia C. H. Spurgeon, D. L. Moody, Charles Finney e George Whitefield. Eles não usavam nenhum artifício em sua pregação. Sua maneira era orar. Li que Charles Finney certa vez entrou numa fábrica e olhou para os trabalhadores ali. Simplesmente pelo seu olhar para eles, muitos dos trabalhadores choraram e se arrependeram. Qual era o poder por trás desses pregadores? Era a oração. Era gastar tempo na Palavra de Deus, aprendendo as Escrituras e, então, selecionando um assunto a partir do qual pregar o evangelho. Essa é a maneira adequada.

Mesmo aqueles que tocam violão nas reuniões devem ser cuidadosos para não ofenderem o Senhor. O Senhor Jesus não prometeu que se tocarmos violão bem as pessoas serão salvas. Ele disse que seríamos revestidos de poder do alto (Lc 24:49). A pregação apropriada vem desse poder. Aqueles que estão preocupados com o evangelho precisam jejuar e orar desesperadamente. (The World Situation and God’s Move, p. 36)

DEVEMOS PREGAR O EVANGELHO NO ESPÍRITO, PELA ORAÇÃO E COM FERVOR

Pregar o evangelho depende de nosso espírito. Paulo disse que servia a Deus em espírito no evangelho de Seu Filho. Quando pregamos o evangelho não devemos empregar nenhum artifício; devemos exercitar nosso espírito. (Estudo-Vida de Romanos, pp. 26-27)

Se agimos seriamente com o Senhor nessa questão de pregar o evangelho, precisamos exercitar essas três coisas: em espírito, pela oração e com fervor. Artifícios e técnicas não serão eficazes. Todos precisamos exercitar nosso espírito para contatar as pessoas, orar e estar prontos com fervor. Se o evangelho não lhe inspira, nunca inspirará os outros. Se o evangelho não lhe pode convencer, nunca convencerá os outros. Se você mesmo não chora com o evangelho, ninguém mais se arrependerá. Se você chora, outros chorarão em arrependimento. (Estudo-Vida de Romanos, pp. 27-28)

A FRUTIFICAÇÃO NOS CAMPI REQUER A ORAÇÃO, A PALAVRA E NOSSOS LARES

Se tivermos encargo para a pregação do evangelho, devemos atentar para essas três coisas. Primeiramente, temos de orar; segundo, temos que falar a palavra; e terceiro, temos de usar nossos lares. Devemos ser agressivos e ativos no Espírito para propagar o evangelho. Podemos encher cada cidade com nossos folhetos de evangelização e com nosso falar. Podemos também encher nossos lares com jovens. Não precisamos de nenhum artifício, mas devemos ter duas coisas básicas: a oração e a palavra, com a ajuda adicional de nossos lares. Devemos seguir os primeiros apóstolos e discípulos, tomando o caminho da oração, da palavra e das casas para a pregação do evangelho. (Preaching the Gospel on the College Campuses, p. 28)

O PODER NA PREGAÇÃO DO EVANGELHO DEPENDE DO EXERCÍCIO DA FÉ

Alguns de vocês podem ter sido salvos há mais de um ano. Você pode pensar que é muito jovem, que não sabe muita coisa e que não tem muita experiência na vida. Não ouça esses pensamentos. Você deve rejeitá-los. Vi muitos recém-salvos que eram ousados, fortes e poderosos na pregação do evangelho. Também vi alguns que se tornaram velhos em sua experiência com o Senhor. Quando pregavam o evangelho, não tinham nenhum poder. Então, eles se voltaram para artifícios e exercitaram sua perspicácia para convencer as pessoas. Você não precisa usar palavras persuasivas. Desde que esteja no Espírito, você deve ser franco e estrito com suas palavras.

Certa vez em minha cidade natal, alguém veio a mim e disse: “irmão Lee, sua pregação do evangelho é muito boa, mas você não deve ser tão franco e estrito no seu falar.” Eu lhe disse que, embora fosse muito agradável na sua pregação do evangelho, ele não tinha trazido muitas pessoas ao Senhor. Eu deveria aprender com ele? Posso não ter parecido agradável na minha pregação do evangelho, mas eu trouxe muitas pessoas ao Senhor. A eficácia do evangelho não é uma questão de ser agradável e persuasivo, nem mesmo franco e ousado. É uma questão de poder. Aqueles que exercitam sua fé para pregar o evangelho no batismo no Espírito têm poder. Hoje o poder está na sua fé, e sua fé tem uma base e um suporte. A base é a Bíblia. Primeira Coríntios 12:13 diz: “Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo.” Não precisamos usar nenhum artifício quando pregamos o evangelho. Devemos simplesmente exercitar nossa fé para aplicar a palavra da verdade que diz que fomos batizados no Espírito. (Preaching the Gospel on the College Campus, pp. 12-13)

Todos temos de ser resgatados do conceito de que precisamos usar artifícios. Esse pensamento tem de sair. Não precisamos de nenhum artifício como rock, filmes ou dramas. Os demônios não temem os artifícios. Os demônios temem nossa fé. Se exercitarmos nossa fé, teremos o poder para pregar o evangelho. (Preaching the Gospel on the College Campuses, p. 13)

O TESTEMUNHO DO SENHOR É SUSTENTADO POR UMA HUMANIDADE TRANSFORMADA

Hoje, para o testemunho de Cristo, também precisamos de colunas feitas de madeira de acácia. Alguns cristãos, contudo, recorrem ao uso de músicas rock e dramas para pregar o evangelho. Mas o testemunho do Senhor não é sustentado por meio disso. Pelo contrário, ele é sustentado por nossa humanidade transformada com seu elevado caráter e padrão. Essa humanidade é a força para o mover de Cristo como a incorporação do testemunho de Deus. (Life-study of Exodus, p. 1004)

Devemos ser cuidadosos em usar somente os meios apropriados para levar o testemunho do Senhor hoje. Se olhar certas publicações cristãs, você verá que “carros” puxados por “gado” são ainda usados para carregar o testemunho do Senhor. Na verdade, são usados meios ainda piores. A restauração do Senhor é para ser carregada por tais coisas? Absolutamente não! A maneira apropriada é uma conexão direta com o Senhor Jesus. Devemos carregar Cristo sobre nossos ombros. Isso significa que não deve haver nenhuma distância entre nós e Ele. Se quisermos carregá-Lo como o testemunho de Deus, devemos ser um com Ele.

Paulo propagava o testemunho de Jesus falando e escrevendo. Ele não usava nenhum artifício. Ele carregava o testemunho por seu viver. Semelhantemente, o testemunho do Senhor deve ser um conosco hoje. Isso significa que nosso viver deve ser o carregar o testemunho. Enquanto vivemos Cristo, nós O sustentamos onde quer que formos. (Life-study of Exodus, pp. 1005-1006)

USAR DIFERENTES MÉTODOS CAUSA DANO À UNANIMIDADE

Para manter a unanimidade, precisamos adotar uma só maneira de dirigir. Se tivermos maneiras diferentes, com certeza a unanimidade será prejudicada. No Novo Testamento, há uma única maneira constituída desses três ingredientes: oração, o Espírito e a Palavra. (Treinamento de Presbíteros, Volume 7: A Unanimidade para o Mover do Senhor, p. 33)

Suponha que um irmão proponha que usemos certo tipo de música para pregar o evangelho. Alguns podem sentir-se bem quanto a isso, mas outros não. Ninguém, entretanto, teria opiniões diferentes sobre oração, sobre o Espírito e sobre tomar a Palavra e pregá-la. Essa é a única maneira que todos conhecem, porque é a maneira ordenada por Deus. Não é uma maneira que eu inventei ou imaginei, mas a maneira que Deus inventou e ordenou na Bíblia. Precisamos tomar esse princípio em todas as nossas práticas. Tentem ao máximo limitar e restringir sempre a sua prática pela Palavra. Tudo o que a Palavra não disser, é melhor não adotar. Pregar o evangelho de qualquer outra forma que não seja oração, o Espírito e a Palavra, pode causar uma maneira diferente de pensar.

As pessoas adotarão outra maneira porque não querem despender muito tempo na Palavra. Adotar outras maneiras além de oração, Palavra e Espírito, é atalhos por causa da conveniência. Não conseguimos ser totalmente bem-sucedidos adotando um atalho. A maneira autêntica, adequada, a mais proveitosa, é adotar a única maneira. A única maneira de fazer algo é o princípio ordenado por Deus. O universo todo está cheio de princípios estabelecidos por Deus, o Criador. Se alguém vai casar-se, precisa adotar a maneira ordenada por Deus, com o princípio do casamento de um só marido e uma só esposa (Mt 19:3-9). Tomar um atalho é meter-se em encrencas. No mundo e no universo, há muitos princípios ordenados por Deus. O que a ciência faz, na verdade, é descobrir todos eles.

Usar outras maneiras para pregar o evangelho ou conduzir a igreja pode ser proveitoso, mas constitui um atalho. O atalho sempre terá alguns efeitos colaterais. Somente a maneira adequada nunca terá efeitos colaterais. Os melhores médicos são cuidadosos em não prescrever quaisquer remédios que possam causar efeitos colaterais prejudiciais. Por isso, não devemos usar nada além de oração, a Palavra e o Espírito para pregar o evangelho e a vida da igreja. Caso contrário, devemos ficar preparados para alguns efeitos colaterais, como a dissensão, por exemplo, que vai prejudicar a verdadeira unanimidade.

LUTAR NA PALAVRA, LABORAR EM ORAÇÃO E SER DILIGENTES EM LIDAR COM O ESPÍRITO SANTO

Pode parecer muito estranho adotar a maneira autêntica. Leva tempo e paciência; temos de laborar e labutar. Vamos Labutar na Palavra, em oração e ser diligentes em lidar com o Espírito Santo. Vale a pena. Temos de despender muito tempo para nos aprofundar na Palavra; temos que nos saturar com a Palavra sagrada, tê-la constituída em nós, e até mesmo ser encharcados por ela. Precisamos também que nosso contato com o Senhor torne-se parte de nossa constituição. Temos de contatá-Lo dia após dia, hora após hora; então seremos a pessoa correta. (Treinamento de Presbíteros, Volume 7: A Unanimidade para o Mover do Senhor, pp. 34-35)

… [Estou] desafiando-os a se aprofundar na Palavra. Adotem a única maneira: oração, o Espírito e a Palavra. Não pensem em nada mais e não usem de qualquer artifício. Constituam-se, qualifiquem-se e equipem-se. Depois saiam em sua oração com o Espírito, apresentando a Palavra. (…) Não pensem em adotar outra maneira afora oração, o Espírito e a Palavra. Qualquer outra maneira causará dissensão e divisão. (Treinamento de Presbíteros, Volume 7: A Unanimidade para o Mover do Senhor, p. 40)

NOSSA MANEIRA É PREGAR A PURA PALAVRA DE DEUS

Outros grupos de cristãos usam maneiras naturais e mundanas para atrair as pessoas. Usam o caminho de ser sociais, rock e corais com vestes coloridas. Eles usam esses caminhos para ganhar as pessoas, mas não podemos usar essas maneiras. Quando as pessoas são salvas e vêm para nossas reuniões, elas ouvem a pura palavra de Deus. (The Christian Life, p. 58)

USAR ARTIFÍCIOS EM NOSSAS REUNIÕES É CONTRÁRIO À MANEIRA DO SENHOR

O Senhor está também restaurando a maneira adequada de reunir. Como vamos determinar se nossa maneira de reunir é bíblica? Ao mesmo tempo em que ninguém pode dizer que nossas reuniões não são bíblicas, é difícil dizer qual é a maneira bíblica de se reunir. Publicamos um livro chamado Como Reunir [somente em inglês]. Se ler esse livro, contudo, você ficará intrigado com respeito à maneira adequada de se reunir. Mas realmente sei que ter dança, rock ou drama nas reuniões é errado. Ter solistas é errado. Essas coisas não são apenas erradas, são contrárias à maneira do Senhor. O Senhor ainda está restaurando a maneira adequada de reunir. (The World Situation and God’s Move, p. 38)

O USO DE ROCK NÃO CORRESPONDE AO CAMINHO APERTADO DA VIDA DIVINA

Todos estamos felizes por estar na restauração do Senhor e a apreciamos muito. Mas permita-me perguntar-lhe: “Como alguém na restauração do Senhor, você está andando no caminho apertado? Todos devemos ser capazes de dizer que não estamos tomando o caminho do cristianismo, mas o caminho apertado. Somos pressionados por todos os lados. Os do cristianismo podem usar a música rock e outros métodos mundanos para servir, mas nós não podemos, porque nosso caminho é apertado. (Estudo-Vida de Mateus, p. 294)

… De acordo com a natureza divina em nós, não podemos usar música rock em nossas reuniões. Embora possamos tentar vários métodos mundanos, a natureza divina discordaria de todos eles e indicaria que você está transgredindo as regras. Todos que são povo do reino, todos que foram regenerados pelo Pai, têm Sua vida e natureza dentro de si. A vida e a natureza do Pai indicam se estamos ou não no caminho apertado. Vamos todos correr a corrida conforme a natureza do Pai. (Estudo-Vida de Mateus, p. 302)

USAR MEIOS MUNDANOS É IMPURO E É FERMENTO

Queridos santos, isso é um grupo vital. Isso é o que tenho visto do Senhor. Isto é o que espero ver: Que todos vocês, os amados que estão na restauração, sejam pessoas desse tipo. Vamos ganhar as pessoas não por intermédio do rock ou por meio de outro método impuro. Vamos ganhá-las falando simplesmente Cristo, falando graça, falando Deus a todos. Num certo sentido, não devemos nos importar se alguém nos entende ou não, ou se apreende o que estamos dizendo. Devemos simplesmente nos importar com o falar, com o fluir de rios de águas vivas todo o tempo. (The Training and Practice of the Vital Groups, pp. 120-121)

… Tantas coisas no cristianismo são fermento. Isso inclui Natal, Páscoa, ídolos, retratos, imagens, música rock, teatro e todo o sistema ACM. Devemos ser cuidadosos a fim de não tomar nada além de Cristo para o propósito de Deus, porque qualquer coisa além Dele é fermento. Oh! o sutil está à espreita esperando alguém para ser sua presa! Podemos facilmente tornar-nos sua presa porque em nossa natureza humana há o desejo de facilitar para que as pessoas experimentem as coisas espirituais. Mas tudo o que você usar para ajudar as pessoas a tocar as coisas espirituais é um tipo de fermento. A maneira pura e santificada de pregar o evangelho e levar as pessoas a Cristo é a oração e ministério da Palavra. Não tome nenhuma outra maneira. Se após orar e ministrar a Palavra, as pessoas ainda não receberem o evangelho, isso é com o Senhor. Se as pessoas receberão ou não nossa palavra é uma questão da vontade do Pai. Não queremos usar truque algum para ajudar em nossa pregação. Todo artifício é fermento. Não somos por uma obra ou um movimento – somos para o testemunho de Jesus.

… Tenha cuidado para não tomar algo além de Cristo. Ao edificar a igreja e espalhar o testemunho do Senhor, a única maneira é orar e ministrar a Palavra pura. Aos olhos de Deus, qualquer artifício – algo além de Cristo, da Palavra, da oração e do Espírito – é fermento. Devemos orar até que nossa pregação esteja no poder do Espírito, e devemos orar até que o nosso testemunho seja preenchido com as riquezas de Cristo. Essa é a pura farinha como alimento para Deus e para o homem. Isso é o que o Senhor quer hoje. (Estudo-Vida de Mateus, pp. 465-466)

USAR ARTIFÍCIOS EXPÕE NOSSAS CARÊNCIAS

… Nas reuniões carismáticas, as pessoas às vezes usam rock, dramas e todo tipo de representações para atrair as pessoas. Tudo isso é artifício. O uso desses artifícios mostra que estamos carentes do poder do Espírito. Se tivermos o verdadeiro poder do Espírito, não necessitaremos de nenhum artifício. Os primeiros discípulos não usaram nenhum artifício, mas tinham poder (At 1:8; 4:33; 6:8, 10). Na ilha de Taiwan, nenhuma obra cristã pode comparar-se ou competir com a obra da restauração do Senhor na pregação do evangelho. Não há utilização de artifícios, mas o poder do Espírito está lá. (Preaching the Gospel on the College Campuses, p. 12)

Qualquer proposta de usar artifícios para pregar o evangelho é uma forte prova de que não exercitamos nossa fé. Se eu apenas exercitasse minha mentalidade na liberação das mensagens, meu falar seria pobre. Devo exercitar meu espírito para crer que estou no batismo no Espírito e que o Senhor falará por meu intermédio. Você não precisa de nenhum artifício para pregar o evangelho, mas precisa tratar com seus pecados. Você não precisa jejuar e orar, mas precisa abrir-se ao Senhor e ter uma consagração renovada. (Preaching the Gospel on the College Campuses, p. 12)

USAR MEIOS MUNDANOS FAZ A IGREJA CAIR NO MUNDO

“Porém este não multiplicará para si cavalos, nem fará voltar o povo ao Egito, para multiplicar cavalos; pois o SENHOR vos disse: Nunca mais voltareis por este caminho” (17:16). O rei multiplicando para si cavalos faria o povo voltar ao Egito. O Egito simboliza o mundo, e os cavalos simbolizam os meios mundanos. Se usarmos meios mundanos ou a maneira mundana, certamente nos tornaremos caídos e voltaremos ao mundo. (Life-study of Deuteronomy, pp. 120-121)

MÚSICA PARA ENTRETENIMENTO É IDOLATRIA

Aos olhos de Deus, a música e os dramas que há em determinados cultos são idolatria. (…) Também precisamos ser cautelosos na forma de usar instrumentos musicais nas reuniões. Nosso cântico deve ser para adoração, e não para diversão. Quando cantamos nas reuniões, precisamos ter um autêntico espírito de adoração. Se o nosso cântico se tornar mero entretenimento, isso será idolatria. O cântico nas reuniões da igreja não deve ser para diversão, deve ser autêntica adoração oferecida a Deus. (Estudo-Vida de 1 Coríntios, pp. 422-423)

INTRODUZIR ELEMENTOS CONTRÁRIOS À NATUREZA DE DEUS, À OBRA REDENTORA DE CRISTO E À OBRA TRANSFORMADORA DO ESPÍRITO É DANIFICAR O EDIFÍCIO DE DEUS

Primeira Coríntios 3:17 diz: “Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.” Destruir é arruinar, corromper, contaminar ou estragar o santuário de Deus. Destruir o santuário de Deus significa edificar com material sem valor, como madeira, feno e palha, como descreve o versículo 12. Isso se refere a crentes judeus que tentaram edificar a igreja com elementos do judaísmo, e os crentes gregos, que se esforçavam por introduzir elementos filosóficos na edificação. Tudo isso tendia a corromper, arruinar, contaminar e estragar o santuário de Deus, isto é, a destruí-lo. Usar qualquer doutrina que difira dos ensinamentos fundamentais dos apóstolos (At 2:42), ou quaisquer meios e esforços contrários à natureza de Deus, à obra redentora de Cristo e à obra transformadora do Espírito, é corromper, arruinar, contaminar, estragar e destruir a igreja de Deus. (Estudo-Vida de 1 Coríntios, pp. 287-288)

USAR MEIOS MUNDANOS PARA DAR “FRUTO” PRODUZ “MOABITAS” E “AMONITAS”

… Todos nós precisamos esforçar-nos para pregar o evangelho, mas devemos considerar o que somos. Se tivermos a imagem de Deus e o Seu domínio, certamente traremos outros à imagem e ao domínio de Deus. Todas as igrejas locais precisam crescer, mas nunca faça uso de artifícios, que podem produzir “moabitas” ao invés dos frutos adequados. (Estudo-Vida de Gênesis, p. 128)

… A fim de frutificar, deveríamos viver por meio de Cristo, expressando-O, orando e ajudando as pessoas a receberem a palavra viva de Deus de modo a poderem renascer. Essa é a maneira de gerar o fruto correto que seja o “Isaque” para o cumprimento do Seu propósito. Observe, porém a situação atual: alguns grupos usam música “rock”, dança, drama, cinemas e jogos para satisfazer o seu desejo de garantir o crescimento numérico. Aos olhos de Deus, isso é incesto espiritual. (Estudo-Vida de Gênesis, p. 871)

As filhas drogadas de Ló estavam desejosas de ter uma descendência, não se importando com os meios (19:31-35). Apenas se importavam com o objetivo, não com a maneira. Muitos grupos cristãos são assim. (Estudo-Vida de Gênesis, pp. 872-873)

Aqueles que usam rock e outros artifícios na sua pregação do evangelho podem trazer algumas pessoas ao Senhor por esses meios, mas todos esses serão moabitas. (The World Situation and God’s Move, p. 37)

APENAS A OBRA QUE É BASEADA NA NATUREZA DIVINA DO PAI, NA OBRA REDENTORA DO FILHO E NA OBRA TRANSFORMADORA DO ESPÍRITO SERÁ APROVADA NO TRIBUNAL DE CRISTO

Watchman Nee viu em 1 Coríntios 3:12-15 que o mais importante com respeito à nossa obra não é sua quantidade, mas sua qualidade. Ouro, prata e pedras preciosas são sempre poucos em quantidade, mas elevados qualidade, enquanto que a madeira, feno e palha são sempre muitos em quantidade, mas de pouca qualidade. Madeira, feno e palha não podem suportar a prova do fogo, mas o ouro, a prata e as pedras preciosas podem. Nós seremos julgados diante do trono do julgamento de Cristo, não segundo a quantidade, mas segundo a qualidade de nossa obra. (Biografia de Watchman Nee: Um Testemunho de um Homem que Viu a Revelação Divina Nesta Era, pp. 98-99)

É significativo que Paulo mencione somente três tipos de material precioso: ouro, prata e pedras preciosas, porque correspondem ao Deus Triúno. O ouro se refere à natureza de Deus Pai, a prata, à obra redentora do Filho e as pedras preciosas à obra transformadora do Espírito. Essa é a experiência do Deus Triúno tornando-se o suprimento para que ministremos aos santos e o material para a edificação da igreja. Se edificarmos a igreja com esse material precioso, e não com o nosso homem ou cultura naturais, estaremos sendo cuidadosos em como edificamos sobre Cristo. Então a nossa obra de edificação não destruirá o santuário de Deus, e nós não sofreremos a destruição de Deus. (Estudo-Vida de 1 Coríntios, pp. 237-238)

… Antes, precisamos tomar Cristo, que é todo-inclusivo, como fundamento e edificar sobre Ele, não com nossa natureza, ser ou atividades, mas com a natureza de Deus, a obra redentora de Cristo e a obra transformadora do Espírito de Deus. Se pelo espírito mesclado edificarmos com esse material precioso, estaremos levando a cabo a obra para a restauração do Senhor. Como resultado, quando Ele voltar, nossa obra passará no teste, e nós receberemos o galardão para desfrutar o reino vindouro… (Estudo-Vida de 1 Coríntios, p 254)

Usar qualquer doutrina que difira dos ensinamentos fundamentais dos apóstolos (At 2:42), ou quaisquer meios ou esforços contrários à natureza de Deus, à obra redentora de Cristo e à obra transformadora do Espírito é corromper, arruinar, contaminar, estragar e destruir a igreja de Deus. (Estudo-Vida de 1 Coríntios, p. 288)

SOMENTE POR MEIO DE VIVER CRISTO PODEMOS DAR O FRUTO QUE PERMANECE

Busquemos o Senhor para que contemplemos a única visão relativa à economia de Deus. Seu único desejo é que O tomemos como nossa vida e pessoa e vivamos por Ele. Os ramos dão fruto permanecendo na videira. Da mesma forma, nosso dar fruto é o fluir da vida. Não é uma obra, mas nosso viver. O mesmo é verdadeiro quanto às nossas reuniões e à nossa pregação do evangelho. Nosso evangelho é o Cristo que vivemos. (Life Messages, vol. 1, p. 46)

A maneira de pregar o evangelho é andar em Cristo. Essa declaração pode parecer abstrata, porque estamos acostumados a encontrar maneiras, ou planejar atividades, para realizar as coisas. Alguns de nós podem pensar que a maneira de pregar o evangelho é usar instrumentos musicais ou ter um quarteto cantando canções de evangelização. Há também a maneira da eloqüência, com um talentoso orador dando uma mensagem interessante. Inclusive tem sido falado entre nós que o modo de ganhar as pessoas é ir onde elas estão; tenho ouvido falar de alguns que vão aos cinemas, bares e bailes de danças com o propósito de “pescar”. Todas essas propostas são maneiras. Elas são vazias de Cristo…

Pelo fato de vivermos Cristo, Ele é a maneira de pregarmos o evangelho. Não tenha a opinião de que essa é uma maneira lenta para ganhar o aumento. Se apenas um for salvo por ano por intermédio de cada um de nós, haverá cem por cento de aumento. Além disso, aqueles que forem salvos dessa maneira serão fruto que permanece. Não será assim com aqueles que forem trazidos pelo uso de artifícios; a maioria deles não permanecerá. (Life Messages, vol. 1, pp. 187-188)

0 Comentario

Nenhum comentário ainda!

Seja o primeiro a comentar Comentar aqui!

Deixe uma resposta