CONVERSÃO POR IMITAÇÃO

CONVERSÃO POR IMITAÇÃO

Em um clube de ateus,  havia um que era especialmente dedicado a causa. Costumava  assistir às conferências do evangelista George Whitefield. Depois, na reunião do clube, graças à sua excelente memória, repetia, com muita zombaria, quase literalmente as palavras daquele servo de Deus, imitando, inclusive, o tom de voz, os gestos  o cacoetes de Whitefield.

Certa noite, enquanto fazia mais uma de suas imitações, sentiu que, misteriosamente, seu duro coração escarnecedor fora atingido pelo poder daquela palavra celestial, que ele apenas repetia com zombaria. Não conseguia continuar e parou subitamente, para surpresa de todos e dele próprio. Estava  convertido. O resultado disso foi o fechamento do clube.

Após isso, esse homem, o irmão Thorpe, de Bristol, entregou-se totalmente à pregação do evangelho, levando a palavra da salvação a muitos que eram como ele.

Isso é prova do poder da palavra de Deus, que certamente não volta vazia; quem tem contato com ela não pode permanecer indiferente. Esse é o poder da vida que há na Palavra de Deus. Se permitirmos, tal poder incalculável continuará transformando-nos como fez com Thorpe e como fez no dia da nossa salvação.

(Adaptado de Spurgeon)